Go to Top

Caminhos da Arte

Toda criança desenha, constrói, experimenta e transforma o uso dos objetos com uma liberdade e uma criatividade notável. Criar é a primeira linguagem do homem que lhe permite assimilar as experiências vividas e traduzi-las. A criatividade é uma manifestação inata aos seres humanos, cuja espontaneidade se perde, em geral, com a socialização. A arteterapia, ou arte expressão, que é o uso da arte como base de um processo transformador, visa estimular o crescimento interior, abrir novos horizontes e ampliar a consciência do indivíduo sobre si e sobre sua existência. Utiliza a expressão simbólica, de forma espontânea, sem preocupar-se com a estética, através de modalidades expressivas como: pintura; modelagem; colagem; desenho; tecelagem; expressão corporal, dentre outras, mas utiliza fundamentalmente as artes plásticas e é isso que a identifica como uma disciplina diferenciada. A arte expressão tem obtido excelentes resultados, apresentando-se como uma solução produtiva para a promoção, preservação e recuperação da saúde e do equilíbrio interno. Ao integrar três áreas de conhecimento – Arte, Saúde e Educação –, ela possibilita uma ampliação na formação educacional, sendo enriquecedora na qualidade de vida das pessoas. Seguindo esses preceitos, o projeto Caminhos da Arte, do Instituto Maria Helena Andrés, realizado através de patrocínio da MRS, com apoio do CMDCA e a Prefeitura Municipal de São Brás do Suaçuí, constou de quatro oficinas semanais de arte expressão e arteterapia para um total de 60 alunos (crianças, pré-adolescentes e adolescentes). As aulas aconteceram todas as quintas-feiras, desde junho/2012 até o final do ano. Podia-se ver na expressão dos alunos a alegria de chegar à oficina, que na avaliação deles “deveria acontecer todos os dias”. A psicóloga e arteterapeuta responsável pelo Projeto, Sarahy Fernandes, avalia como muito natural e positiva a motivação dos alunos, considerando que a “arte é inerente a todos nós e sua expressão uma necessidade”. A Presidente do IMHA, Teresa Rolim Andrés, acompanhou com satisfação o resultado do Projeto. Avaliou que todo o trabalho voluntário feito pela direção do Instituto é recompensado com os sorrisos de felicidade das crianças, o despertar da capacidade artística que habita em todos e que pode se desabrochar num projeto como este. Segundo Teresa: “A sensação é de missão cumprida, saber que estamos fazendo algo benfeito e com qualidade para estas crianças e adolescentes, nos faz trabalhar cada dia mais para promover a cultura e arte em toda sua extensão na nossa região.”