Go to Top

Exposições de Maria Helena Andrés

Durante a 1ª Semana de Arte de Entre Rios de Minas, realizada entre os dias 30 de julho e 02 de agosto pelo Instituto Maria Helena Andrés, em parceria com o Laboratório Innovatio, a C/Arte Projetos Culturais, a Escola Ribeiro de Oliveira e o Villa Lobo Arte Bar, foi inaugurada a exposição de desenhos, aquarelas e pinturas de Maria Helena Andrés realizados nas décadas de 1940/50. A exposição, que ficou em cartaz durante um ano, mostrou o período de formação da artista, ainda sob a influência do mestre Guignard, retratando as paisagens, as festas e o cotidiano da vida rural de Entre Rios de Minas, onde ela passava o final de semana na Fazenda da Barrinha, junto ao seu marido, Luiz Andrés Ribeiro de Oliveira. A exposição foi  visitada pelos entrerrianos e participantes da Semana de Arte, marcando a abertura de um espaço expositivo na cidade dentro da sede do IMHA.

A exposição Memórias foi inaugurada no dia 18 de agosto de 2012 para apresentar os trabalhos recentes de Maria Helena Andrés – pinturas, desenhos, esculturas e dois livros-objetos realizados especialmente para a mostra. Os trabalhos referiam-se às memórias e releituras do passado, reinventadas pela artista no presente, com o vigor dos seus 90 anos de idade. A exposição foi uma homenagem da C/Arte e do Instituto Maria Helena Andrés à artista e ficou aberta ao público de 18 de agosto até 5 de outubro, na Galeria Livrobjeto, no espaço da C/Arte, na Av. Guarapari 464, na Pampulha.

No período de dezembro de 2009 a fevereiro de 2010, o IMHA realizou a exposição Maria Helena Andrés | Linha e Gesto, em parceria com a empresa Superfície, na qual se apresentou uma retrospectiva da obra da artista, na Galeria Alberto da Veiga Guignard, no Palácio das Artes, em Belo Horizonte/MG. Além da exibição de um grande número de pinturas, a exposição mostrou ainda desenhos, estudos e esculturas, em uma abordagem multifacetada da trajetória e vida da artista – que possui uma produção grande e diversificada, reconhecida nacional e internacionalmente –, marcada por rupturas criativas, em uma trajetória de mais de 70 anos de atividade artística ininterrupta. A exposição foi complementada por interessante programação paralela, na qual artistas e profissionais das áreas de dança, música, audiovisual e performance foram convidados a construir improvisos, em diálogo com as obras. Alguns deles utilizaram recursos digitais para produção de novas formas de visualização e interação. Arquitetos, curadores e designers ainda realizaram intervenções na expografia, alterando, reordenando e inserindo elementos novos na proposta original da exposição. Em parceria com a Escola Guignard, foram realizadas também oficinas para crianças, que assim puderam conhecer a obra de Maria Helena Andrés. O evento contou com a presença de mais de 15 mil visitantes. Seu catálogo virtual está no link  http://www.imha.org.br/linhaegesto.

De março a abril de 2007, Maria Helena Andrés realizou também a exposição O Caminho das Águas, na Galeria de Arte da Copasa, em Belo Horizonte, na qual foram exibidas mais de uma dezena de pinturas de grande formato, realizadas em tons azuis, na técnica acrílica sobre tela, cuja temática referia-se à água.

Em 2006, realizou-se uma exposição das obras recentes da artista durante o 1º Festival de Inverno de Entre Rios de Minas, no Centro Cultural da cidade. Essa exposição foi a primeira apresentação dos trabalhos de Maria Helena Andrés em Entre Rios de Minas, onde a artista possui um ateliê rural, na Fazenda Luiziânia.